Algo extravagante, irreverente, diferente, sentimental, frio, revoltante, sexy, real, simples e composto. O abstracto está em todos nós, mas só alguns o conseguem tornar concreto.

18
Dez 08

Malas prontas. Natal fora, para não variar :D

Lá não tenho net =/

Bem, hora de ir embora.

Ainda volto antes de 2009 com muitas novidades.

 

Feliz Natal para todos.

Beijinhos da vossa Isabel.

publicado por Isabel Sanchez às 16:30
sinto-me:

17
Dez 08

 

 Você roubou a minha vida
A alma inteira
Você não sabe como é a minha dor
Mas eu não quero a sua pena
Você não sabe o tanto que eu perdi
Não liga se meu mundo quebrar e cair
Em um abismo de desilusão

 

Você já me roubou a vida
E eu me sinto
Como uma pedra onde
O mar derrama a onda
E acostumada, nada sente
Você não sabe o importante que foi
Que sua ausência nunca
Vai chegar ao fim
Que eu te dei um pedaço de mim
 

Você não sabe o que é o amor
Que o medo invade qualquer solidão
Você não sabe que dano causou
Que faz em pedaços meu pobre coração
Que batia quando ouvia
O som vazio em sua voz
O som macio em sua voz

 

Você que me roubou a vida
Todos os sonhos
E me deixou somente
O frio da sensação
De já não ter mais esperança
Você não imagina o quanto eu perdi
Não sabe que será impossível esquecer
E que a saudade só pensa em você
 

Você não sabe o que é o amor
Que o medo invade qualquer solidão
Você não sabe que dano causou
Que fez em pedaços meu pobre coração
Que batia quando ouvia
O som vazio em sua voz
O som macio em sua voz

 

Você não sabe a verdade de quem ama
Você não sabe como foi que me deixou
Você foi frio e congelou a minha alma
Você deixou em mim o vazio e a dor
 

Você não sabe o que é o amor
Que o medo invade qualquer solidão
Você não sabe que dano causou
Que fez em pedaços meu pobre coração
Você não sabe o que é o amor
Que o medo invade qualquer solidão
Você não sabe que dano causou
Que fez em pedaços meu pobre coração

 

- Talvez uma possível prova de que o amor não passa de uma ilusão =/

 

[Tive uma necessidade inexplicavel de vir aqui colocar isto :O . Há coisas que nos marcam para sempre.]

publicado por Isabel Sanchez às 00:51
sinto-me:
música: Alexandre Píres - Você roubou a minha vida

16
Dez 08

 

 

 

 

 Já alguma vez tiveram a sensação que nada do que fazem é realmente o mais correcto? Ou pior ainda, não saberem se o que estão a fazer é realmente o mais correcto? Viverem na incerteza? Já alguma vez sentiram que o mundo vos está a fugir? Já alguma vez criaram inumeros planos que depois não conseguiram cumprir?

Já alguma vez tiveram a necessidade de se revoltar contra algo onde sabem que não há razão possivel para essa revolta?

Já alguma vez sentiram que têm capacidades para muito mais mas só conseguem atingir os limites minimos?

E isso não vos revolta? Isso não vos faz sentir miseraveis? Isso não vos faz sentir fracos e impotentes? Isso não vos faz sentir incapacitados de determinarem o vosso proprio destino?  Não vos faz ficar cobertos de raiva por não atingirem os vossos objectivos?

 

Uhhh, nada mais revoltante.

publicado por Isabel Sanchez às 20:05
sinto-me: Irritada.
música: Pussicat Dolls - I hate this part

11
Dez 08

 

Sempre adorei o Natal, mas nunca acreditei a 100% no pai Natal.

Mas afinal quem é o Pai Natal?

É um ser Humano visto pelas crianças como algo unico e sobrenatural de barbas brancas, vestido de vermelho com umas botas pretas, cinto preto, um barrete vermelho, e uma grande barriga. Dizem que vem de ternó pelos ceus puxado por umas renas. Destribui presentes por todas as crianças do mundo. Dizem também que na noite de dia 24 enquanto elas dormem desce pela chamine e deixa presentes junto da arvore de Natal e nas meias penduradas na parede. [Agora não passa de publicidade para enganar as pobres criancinhas e para que estas façam a cabeça aos pais quando lhes pedem isto e aquilo porque o Pai Natal também lá está em determinado anuncio que veem na televisão]

Lembro-me de ser pequenina e escrever-lhe cartas e mais cartas a pedir presentes não só para mim mas também para a minha Família.. Inocente não?

Depois fui crescendo e deixei de acreditar, mas era tão bom viver naquela ilusão que ele existia :P, mas não existe.

No entanto toda a gente incentiva as inocentes criancinhas a acreditarem no Pai Natal. Mas porquê?

Não sei o motivo, mas penso que elas se sentem bem ao pensar que ele existe. Vibram tanto quando se fala nas prendas do Pai Natal. É algo magico.

Por isso, acho que devemos deixar as criançinhas viverem na ilusão, pois estão exactamente na idade disso. Deixá-las sentirem aquela magia toda. Faz parte da infância.

Invejo-as xP

 

Nota: Não sou defensora deste tipo de forma de vida (viver na ilusão) mas abro uma exepção para as pequeninas criançinhas porque afinal há que perceber que elas necessitam de viverem desta forma pelo menos durante o natal, não sei porquê mas acho que sim.

Vejam lá se não concordam comigo. Pensem como elas são felizes neste mundo. Depois, a posterior 'desilusão' que mais tarde apanharão quando perceberem que não há Pai Natal nenhum não é daquelas fortissimas e péssimas.

É uma ilusão saudavel :)

publicado por Isabel Sanchez às 23:14
sinto-me:

09
Dez 08

Umas das minhas futilidades ...

Uma das minhas maiores paixões.

O belo do sapato de salto alto.

 

 

Não há nada mais sexy, mais perfeito, mais apaixonante que um bom sapato de salto alto.

Torna-nos confiantes, torna-nos sexy's (dizem eles), sobe a nossa auto-estima, ajuda combater a celulite (pois melhoram a circulação) e melhora o desempanho sexual feminino, sim leram bem pois segundo uma cientista italiana estes maravilhosos tipos de sapatos fortalecem os musculos da reliao pélvica relacionado com o orgasmo.

Apesar de poderem prejudicar a coluna, encortar os musculos e provocar desconforto inicialmente. Mas o segredo (para quem os usa diariamente) está em alternar o tamanho do salto.

Sintam-se sexys, indomáveis, confiantes, desejadas

Disfrutem :D 

publicado por Isabel Sanchez às 20:38
sinto-me: Futil
música: pussicat dolls - when i grouw up

06
Dez 08

 

A desilusão é um dos sentimentos mais repetidos pela Humanidade. Causado por uma Ilusão, é uma especie de decepção decorrente de uma experiência negativa. Da qual se sai magoado, ferido, angustiado. Está sempre relacionado com o momento em que nos enganamos a respeito de algo ou alguém em que alguma vez (seja em que momento for) acreditamos. Na maior parte das vezes está relacionado com o amor.

O amor, aquele sentimento tão mas tãao abstracto, considerado o mais forte de todos e também o mais essencial. Sentimento este que intrecala momentos de extrema felicidade (onde nos sentimos a caminhar pelas nuvens, onde só pensamos em determinada coisa, em que vivemos tal momento com imensa intensidade) com momentos de extrema tristeza, desilusão, angústia em que nos sentimos sozinhos num mundo perdido como se vagueassemos pelas ruas completamente desertas e cinzentas. Somos consomidos pela dor, pela insatisfação, e por fim pela revolta.

A revolta, aquela capaz de mover mundos, a revolta incontrolável, a raiva interior, a necessessidade de Vingança.

O desejo de Vingança, aquele que pode modificar-nos para sempre, aquele que nos pode prender de tal forma ao nosso objectivo final que acabamos por destruir tudo à nossa volta, mas mesmo que tudo se ãcabe por desmornar o que verdadeiramente interessa é o objectivo final que depois de concretizado nos tras certa satisfação, mas não felicidade.

Felicidade, aquilo que mais queremos mas que é tão difícil de atingir permanentemente. Voltamos a conseguir a Felicidade, voltamos a iludir-nos pensando que vai durar até que sofremos novamente uma desilusão. E tudo se repete ... Este sentimento tão revoltante persegue-nos.

Até que, ao longo dos tempos com tantas desilusões vamos aprendendo alguma coisa, e no fim a dificuldade está em voltarmos a iludir-nos, em voltar a acreditar.

Não há nada mais lindo que viver na ilusão, o pior é a parte final DESILUSÃO.

Por isso, prefiro a realidade por mais dura que seja.

 

- "No amor todos os caminhos acabam de forma igual - desilusão"

- "A desilusão é a vista da verdade"

- "O amor é filho da ilusão e pai da desilusão"

publicado por Isabel Sanchez às 19:26
sinto-me: Inspirada
música: Mariana Elali - One Last Cry

04
Dez 08

Ele:Quando é que saímos?

Eu: Não sei. Estamos a kilometros de distância.

Ele: Mas quando vieres.

Eu: Talvez, não sei..

Ele: Mas eu quero-te. Quero estar contgo.

Eu: Mas eu não te quero, nem a ti nem a ninguem.

Ele:  Tu é que sabes.

Eu: Olha, agora ficaste chateado. Somos amigos, ou não?

Ele: Esquece que eu alguma vez falei contigo. Perdi o meu tempo, apaga o meu mail e o meu numero.

Eu: Mas tás parvo? Oh meu deus, mas será que voces são todos iguais? Descurso mais tipico doi genero "quero-te comer, mas tu não queres então xau, não quero saber de ti, só te queria mesmo comer" Pessimo, terrível.

Ele: Fica na tua que eu fico na minha, sê Feliz.

[Entretanto bloqueia-me, volta a desbloquear, volta a bloquear tempos depois e por fim desbloqueia]

Eu: Não percebo porque é que me estás a bloquear. Estamos a ter uma conversa amigavel.

Ele: Só vim para apagar o teu mail.

Eu: Esse discurso é me tão famíliar. Os mesmos argumentos .. Tudo igual. Deves pensar que sou como a maior parte das rapariguinhas daí. Comigo não há espaço para cenas despropositadas. Não queres uma amiga? Tudo bem. Continua assim que não vais longe, com as outras talvez pegue. Comigo não. Já nada pega. Não me conheces. Podes ir.  Obrigada por te revelares. Adeus.

 

Reflexão:

Isto é de revoltar qualquer um ou não?

Pensamos que conhecemos minimamente as pessoas. E no entanto passam a vida a não fazer outra coisa senão desiludir-nos. Já não há espaço para desilusões. Não percebo estas mentalidades, revoltam-me. Não percebo estas maneiras de pensar. Não percebo este mundo que eu tenho vindo a descobrir. Não percebo estas ideias, não percebo estas complicações.

Prefiro pensar que há alguem que ainda é capaz de se destacar e marcar a diferença. Alguém que mostre a este monte de gente que a prioridade não é "comer" e "comer" e "comer". Que há mais para alem disto, que as coisas não têm de ser como eles querem. Não têm mesmo. Não é usando as pessoas que chegaram a algum lado, não é.

Precisam de aprender muito, mas muito mesmo. Não é vida.

Eu sou diferente nada igual ao que eles estão habituados, ao tipo de raparigas que se deixam dominar facilmente, aquelas que para elas eles são o mais importante, o mundo gira á volta deles, aquelas que levam com pares e pares de cornos e no entanto perdoam sempre e sempre. Não sou assim e nunca irei ser. Não perdoo traições, não desculpo desilusões. Não tenho que ser igual pois não? 

Chamem-me tudo, chamem-me o que quiserem, mas eu não percebo mesmo estras acções. Chamem-me cobarde por não me querer envolver. Chamem-me fria, gelada, intransigente. Mas é assim que eu quero não é? E se acho que é o melhor para mim, e se estou muitissimo bem assim não percebo a implicância.

Sobre aquele 'amigo' conclui-se que é pessimo e demontra completamente uma falta de caracter incrível.

Concordam comigo?

publicado por Isabel Sanchez às 22:11
sinto-me: Completamente revoltada
música: Britney Spears - Womanizer

02
Dez 08

     

 

Não há nada melhor que ..

Um Café com as amigas ao Pôr do sol numa esplanada qualquer @

 

Há coisas tão simples que nos fazem tão felizes :D

 

publicado por Isabel Sanchez às 22:08
sinto-me: Com imensas saudades :$
música: Jason Mraz - I'm yours

01
Dez 08

 

 

Ainda temos um caminho longo a percorrer.

Ainda temos tanto para viver.

Tantos erros para comenter.

Tantas regras para ultrapassar.

Tantos perigos para correr.

Tantos sonhos para concretizar.

Tanto para explorar, tanto para aprender, tanto para decifrar, tanto para sentir.

 

Não sabermos nada do Futuro é algo misterioso e ao mesmo tempo fantástico.

publicado por Isabel Sanchez às 17:21
sinto-me: Misteriosa
música: Katie Melua - If you were a Sailboat

Dezembro 2008
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6

7
8
9
10
12
13

14
15
19
20

21
22
23
24
25
26
27

28
29
30
31


subscrever feeds
arquivos
mais sobre mim
pesquisar
 
blogs SAPO